HTCinside


Apple multada em 27 milhões por desacelerar iPhones antigos

Lembra quando em 2017 foi divulgada a notícia de que a Apple estava deliberadamente desacelerando os modelos mais antigos do iPhone, o que foi confirmado pela própria Apple? Bem, acontece que ele veio para mordê-los nas costas. Após mais de 2 anos desse conhecimento se tornando público, a Apple foi multada por tomar tal decisão e não ter informado seus usuários da mesma.

O caso foi arquivado pela associação Halt Planned Obsolescence, que solicitou aos promotores que investigassem esse assunto. Foi ouvido pela Direção-Geral da Concorrência, Consumo e Repressão à Fraude da França (DGCCRF) e, após deliberações suficientes, a autoridade multou a Apple em uma multa de US $ 27 milhões (INR 211 crores).

O raciocínio por trás da multa, observou o órgão de vigilância, foi que a Apple não avisou os usuários que seus telefones ficariam lentos quando seus iPhones fossem atualizados para o firmware mais recente, como o dispositivo solicitaria que seus usuários fizessem. A autoridade descobriu que os usuários em nenhum momento foram informados: “que a instalação de atualizações do iOS (10.2.1 e 11.2) poderia desacelerar seus dispositivos”.

A teoria popular que surgiu em 2017 após a notícia foi que a Apple estava desacelerando os telefones para que os usuários fossem forçados a atualizar seus dispositivos para o modelo mais recente. No entanto, a Apple silenciou essa teoria da conspiração ao ouvir seu lado. Ele respondeu afirmando que a decisão de desacelerar os dispositivos foi tomada para prolongar sua vida útil.

De acordo com a Apple, à medida que um dispositivo envelhece, as baterias que o alimentam não estão em suas melhores condições. As baterias de íons de lítio usadas nos dispositivos começam a fornecer menos energia em um cenário de pico à medida que envelhecem. Isso pode resultar no desligamento constante dos iPhones, o que obviamente é indesejável. Portanto, na tentativa de controlar esse desligamento potencialmente frequente do dispositivo, a Apple teve que garantir que o chipset não pudesse mais funcionar em sua capacidade máxima. Assim, os telefones foram desacelerados. A única maneira de impedir que isso aconteça é trocar a bateria dos dispositivos.

Ler -Russo processa Apple por supostamente transformá-lo em gay

A Apple não contestou a ordem e concordou em pagar a multa aplicada pela autoridade francesa e também está obrigada a publicar um comunicado de imprensa por um mês em seu site francês.

Isso ainda não acaba com o problema para a Apple, pois há muitas ações coletivas sendo movidas na Califórnia, Nova York e Illinois, para citar algumas cidades. Isso significa que muito mais pessoas podem entrar nisso e reivindicar uma compensação por terem sido enganadas com seu dinheiro. Em um esforço para controlar essa onda de pessoas, a Apple em 2018 decidiu oferecer aos usuários do iPhone 6 e dispositivos posteriores, um desconto de US $ 50 (INR 3.900) se os usuários substituíssem a bateria fora da garantia.

Vale ressaltar aqui que a multa aplicada à Apple equivale a apenas 0,002% dos lucros que a gigante obteve no quarto trimestre de 2019.